Os documentários da minha vida

Toda vez que eu tento explicar numa conversa casual por que eu gosto tanto de documentários, as palavras me fogem de leve. Sinto que não consigo transmitir para o meu interlocutor o tamanho desse gostar. Justamente por isso, já ensaiei este texto algumas vezes, mas nunca tinha chegado às vias de fato. Bom - tudo indica que agora foi. Como sempre, no instante em que começo a cutucar um assunto querido pra mim, descubro que suas raízes são mais profundas do que eu imaginava. Achei que essa história começasse no iniciozinho dos anos 2000 com “Promises” (Promessas de um Novo Mundo, 2001) e “Bowling for Columbine” (Tiros em Columbine, 2002), mas, pensando bem, existe um antes. Eu me mudei de São

foto: Nicolas Soares 

Graduada em tradução e mestre em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Desenvolve conteúdo escrito para absolutamente qualquer coisa, traduz (do e para o inglês), prepara romances, sugere livros para momentos difíceis, casa pessoas e o que mais você estiver precisando. 

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
Por assunto
Arquivo